Natt Quinquiolo: Manifesto - Parte I

Manifesto - Parte I

Depois de muito tempo, cá estou. Já faz algum tempo desde a última postagem, eu sei. Pensei e resolvi mudar a direção deste blog. Não, não alterarei o assunto, somente o formato. Continuarei postando fotos do meu trabalho (coisa que não tenho feito ultimamente) e passarei a postar curiosidades, informações e o mais importante, minha opinião sobre algumas questões. Alias, este é o motivo deste retorno repentino. Calma, explicarei.

Atualmente participo de 3 grupos ligados a culinária e confeitaria no Facebook e fico feliz por isso. Acho extremamente válido a troca de experiência, de informações e da amizade que fazemos com pessoas que nunca pensamos em conhecer. Mas tudo tem um porém e isto também tem. Não um, mas vários e eu explico:

* Várias pessoas pedem receitas e mais receitas de doces, bolos, cupcakes, recheios, coberturas, qualquer coisa. E quando eu digo qualquer coisa, é qualquer coisa mesmo! Se dúvidar, daqui a pouco vão pedir a receita da Coca-cola ou do Big Mac! Não há problemas em pedir receitas, elas estão ai há anos para todos, inclusive no Google, nosse grande amigo. Mas vem cá, porque pedir tudo? Será que todas que pedem tem tempo, dinheiro, paciência e qualquer outra coisa que precise pra testar TUDO que pede? Claro que não. Pedem por vício de pedir. Pura e simplesmente. E isso me incomoda.

* Muitas perguntam quanto cobrar. Oi? Como assim? Como eu posso saber quanto você vai cobrar pelo SEU produto? Eu sei quanto eu cobro pelo meu, porque eu calculei todos os gastos, agreguei o valor do meu trabalho e decidi o preço final. É interessante saber qual o valor de mercado? É, mas quem coloca o preço é quem produz. Cada um compra sua matéria prima em lugar, cada uma mora em uma região diferente, cada uma gasta mais tempo pra produzir e tudo isso conta na hora de calcular. Se você não consegue dispor de umas horas do seu tempo pra fazer isso, então não venda, dê de presente.

* Há váááários pedidos de ajuda para fazer um cupcake, por exemplo, para uma primeira encomenda. E pasmem, não são pedidos com dicas, são pedidos com receitas! Peraí, receitas? Sério, que você, uma profissional, aceitou uma encomenda sem nunca ter nem feito o que vendeu?  Nem testado? Não sabe nem uma receita que funcione? Ah, para. Para tudo! Não consigo e não quero acreditar que isso seja verdade.

Gente, pra isso existem diversos profissionais dando curso. E se não quer fazer curso, tudo bem, cada um sabe o que pode, mas o Google ainda é free. É só você colocar o que quer lá e tcharam! Aparece uma infinidade de opções pra você escolher. Ah, mas o problema não é isso. Colocar no Google você até coloca, mas ai você tem que testar. E testar receita custa. Custa tempo, dinheiro, saco. E isso você não quer. Mas acha justo quem fez tudo isso, mesmo sem querer, passar tudo pra você assim, de mão beijada? Provavelmente acha, senão teria o bom senso de não pedir.

E são tantas outras coisas, que deixo pro próximo post.

13 comentários:

  1. Nem sobrou nada pra eu comentar... sensacional!

    ResponderExcluir
  2. Adorei...posso copiar??????? Dou os créditos pra você...

    ResponderExcluir
  3. preciso comentar? "falou tudo"...
    mandou bem amiga

    bjs

    ResponderExcluir
  4. Otimo texto natty!

    ResponderExcluir
  5. Sempre pensei como você, mas não me sentia a vontade para fazer tais comentários exatamente por eu não ser profissional da área, apenas uma cozinheira caseira, ma com um pouco de conhecimento e experiência de 30 anos de casamento, rsrs Eu fico impressionada quando vejo a chuva de pedidos de ajuda para preço, rsrsr chega a ser engraçado para quem ve de fora como eu. Vc está de parabéns pelo Blog, é mais uma ferramenta para quem realmente precisa de ajuda...

    ResponderExcluir
  6. CLAP-CLAP-CLAP....
    Como profissional que sou, sempre pensei assim e me indignei qdo via postagens no ORKUT do tipo "tenho uma encomenda e preciso da receita" ou "tenho uma encomenda e não sei qto cobrar"... Já perguntei a muita gente como "tem uma encomenda" se não passou nem o preço? E agora? Isso é preguiça, folga, falta de respeito, falta de bom senso, amadorismo, cara de pau ou o que quiserem chamar.
    Eu fico indignada mas poucas vezes e de maneira muito sutil coloquei essa opinião, pq, pior do que essas pessoas, são aquelas que derramam chavões do tipo "é dividindo que se multiplica", "o sol nasceu pra todos", "o mercado comporta todo mundo" ou ainda "estamos aqui para compartilhar, dividir conhecimento..."
    Isso pra mim parece filosofia de porta de banheiro. Vejo isso como atitude de pessoas que vivem de elogios. Uma coisa é ajudar, outra é dar de mão beijada não só as receitas mas tb o nosso trabalho. Acho, ainda, que, quem faz isso, não tem muito respeito com quem rala, testa, gasta tempo e dinheiro em busca de um produto bom e de qualidade e que, muitas vezes, vive disso.
    Parabéns por palavras tão úteis, pena que muita gente não vai concordar e ainda vai achar que isso é má vontade...

    ResponderExcluir
  7. Parabéns! Arrasou! Não tem nem o que acrescentar!
    Espero realmente que as pessoas que querem começar neste nosso ramo saibam que a primeira coisa que elas têm que fazer é gastar dinheiro testando receita para depois começar a pensar em vender.

    ResponderExcluir
  8. Concordo em genero numero e grau. Acho um absurdo as pessoas pedirem tanto sem nunca procurar. É muito mais fácil pegar uma receita que já foi testada do que testar. Não sou contra dar receita, sou contra falta de noção. Pena que algumas pessoas não conseguem entender. Talvez quando elas passarem por isto, mudem de opinião.

    ResponderExcluir
  9. Silvia Maria Fontana13 de setembro de 2011 17:54

    Achei seu texto ótimo. Parabéns.

    ResponderExcluir
  10. PARABENS!!!!!!
    Adorei tudo e concordo. Endosso tambem o comentário da Ana MAria, que é uma de minhas moderadoras em comunidade do orkut.
    Voce publicou um texto que estava engasgado em nossas gargantas.
    Parabens novamente.
    Beijos

    ResponderExcluir