Natt Quinquiolo: Outubro 2011

Encontrinho Doceiras Twitteiras

No já saudoso mês de outubro rolou um mini-encontro-express das Doceiras Twitteiras de SP e adjacências (leia-se eu mesma, que não sou de SP Capital mas estava lá!).
O que posso eu dizer deste momento tão único, onde estavam reunidos doces de algumas das melhores (juro!) doceiras que eu conheço. Foi arrumado de última hora, nada grandioso mas tudo feito com muito carinho por cada uma de nós. E é claro que juntando tanto talento e tanta boa vontade só podia dar coisa bacana! E bacana foi pouco porque foi mais que isso, foi lindo. Amigas reunidas, conversando e trocando idéias, todas preocupadas somente em estar junto e fortalecer essa amizade! Amo muito, muito mesmo!


E de lá pra cá: Flávia Cox, Lilian Nakashima e Claudia Maierá, Luciana D´Agosto, Renata Prazeres, Alessadra Luvisotto, Ana Carolina Cioffi, Andrea Schwarz, Paula Cinini, Leilane Borges, Roberta Gauss, Eu e Sandra Dias

Manisfesto - Parte II

Engana-se quem já veio pra cá pressupondo um novo manifesto com o mesmo tema do primeiro. Este é diferente e um tanto quanto mais curto (porém não menos importante)! É sobre o mundo exterior. Ahn? Mundo exterior? Sim, mundo exterior!

Sabe aquele conhecido que há muito você não vê, mas que conhece seu trabalho de vista  ou então soube por alguém que soube por outro alguém....? Hoje esse é o meu mundo exterior. São aquelas pessoas que te conhecem mas nunca compraram nada seu, nem um grão de açúcar cristal sequer! Mas quando te encontram, depois de um tempo e sem ter o que conversar (porque geralmente a falta de assunto aflige essas pessoas, assim como a imensa vontade de puxar um assunto sem graça em um momento inapropriado!) resolve perguntar sobre o seu trabalho. O interesse súbito e repentino no seu trabalho soa estranho. Peraí, anos de convivência, nenhuma encomenda e você quer saber sobre o meu trabalho? O problema não é perguntar sobre o que eu faço e sim o desdém que vem acompanhando a pergunta: "E os docinhos (eu não faço docinhos, detalhe!), fazendo AINDA?" ou então "Ah, você trabalha? Ué, mas você não faz bolo?". Você já viu alguém em sã consciência perguntar para um médico se ele AINDA é médico?

Ficou pasmo? Pois eu fiquei! Como dizem alguns amigos, só por Deus mesmo!